change language
sei em: home - news newsletterlink

Support the Community

  
1 Outubro 2013

Mensagem do Papa Francisco para os participantes no Encontro Internacional pela Paz "A Coragem de esperança"

 
versione stampabile

 Beatidues,

Cardeais,
Ilustres representantes das Igrejas, das Comunidades eclesiais e das grandes religiões,
 
Agradeço-lhes de coração por terem querido realizar esta visita. Dá-me alegria! Estão a viver juntos dias intensos neste Encontro que reúne povos de diferentes religiões, e que tem um título significativo e comprometidor: " A coragem da esperança". Agradeço ao professor Andrea Riccardi, pelas palavras de saudação que dirigiu em nome de todos vós, e com ele a Comunidade de Sant’Egidio, por seguir com tenacidade o caminho traçado pelo Beato João Paulo II através do histórico encontro de Assis: guardar acesa a lâmpada da esperança, orando e trabalhando pela paz. Foi em 1986, num mundo ainda marcado pela divisão em blocos opostos, e foi nesse contexto que o Papa convidou os líderes religiosos para rezarem pela paz: já não uns contra os outros, mas os uns ao lado dos outros. Não devia e não podia ficar um evento isolado. Vós continuaram este caminho e aumentaram o seu ritmo, envolvendo no diálogo personalidades significativas de todas as religiões e representantes leigos e humanistas. Mesmo nestes últimos meses, sentimos que o mundo precisa do "espírito" que animou aquele histórico encontro. Porquê? Porque há muita necessidade de paz. Não! Nunca podemos resignarmo-nos à dor de povos inteiros, refém da guerra, da miséria, da exploração. Não podemos assistir impotentes e indiferentes à tragédia de crianças, famílias, idosos, afectados pela violência. Não podemos deixar que o terrorismo aprisione o coração de alguns violentos para semear morte e dor para tantos. De maneira especial, digamos com força, todos, continuamente, que não pode haver nenhuma justificação religiosa para a violência. Não pode haver nenhuma justificação religiosa para a violência, de qualquer maneira ela se manifeste. Como o Papa Bento XVI destacou, há dois anos, pela ocasião do 25 º aniversário do encontro de Assis, é preciso apagar todas as formas de violência motivadas com a religião, e juntos vigiar para que o mundo não seja vítima daquela violência que existe em cada projecto de civilização que se baseia no "não" a Deus.
 
Como líderes das diferentes religiões podemos fazer muito. A paz é responsabilidade de todos. Orar pela paz, trabalhar pela paz! Um líder religioso é sempre um homem ou uma mulher de paz, porque o mandamento da paz é inscrito no mais profundo das tradições religiosas que representamos. Mas o que é que podemos fazer? O facto de vos encontrarem a cada ano sugere-nos o caminho: a coragem do diálogo. Esta coragem, esse diálogo é que dá esperança. Nada a ver com o otimismo, é outra coisa. Esperança! No mundo, na sociedade, há pouca paz também por falta de diálogo, é difícil sair do estreito horizonte dos próprios interesses para se abrir a um encontro verdadeiro e sincero. Para a paz é necessário um diálogo tenaz, paciente, forte, inteligente, pelo qual nada está perdido. O diálogo pode vencer a guerra. O diálogo faz com que pessoas de diferentes gerações, que muitas vezes se ignoram, possam viver juntos; como também cidadãos de diferentes origens étnicas, de diferentes crenças. O diálogo é o caminho da paz. Porque o diálogo favorece a compreensão, a harmonia, a concórdia, a paz. Por esta razão, é vital que cresça, que se espalhe entre as pessoas de todas as condições e convicções como uma rede de paz que protege o mundo e, especialmente, protege os mais fracos.
 
Os líderes religiosos são chamados a ser verdadeiras "pessoas em diálogo", a agir na construção da paz não como intermediários, mas como mediadores autênticos. Os intermediários procuram fazer descontos para todas as partes, a fim de obter um ganho para si mesmos. O mediador, no entanto, é o único que não mantem nada para si, mas se dedica generosamente até consumir-se, sabendo que o único ganho é o da paz. Cada um de nós é chamado a ser um artesão da paz, unindo e não separando, extinguindo o ódio e não guardando-o, ao abrir caminhos de diálogo e não ao erguer novos muros! Dialogar, encontrar-se para estabelecer no mundo a cultura do diálogo, a cultura do encontro.
O legado do primeiro encontro de Assis, alimentado ano após ano, também no vosso caminho, mostra como o diálogo está intimamente ligado à oração de cada um. Diálogo e oração crescem ou perecem juntos. A relação do homem com Deus é a escola e o alimento do diálogo com os homens. O Papa Paulo VI falava na "origem transcendente do diálogo" e dizia: "A religião é, por sua natureza, uma relação entre Deus e o homem. A oração exprime esta relação através do diálogo" (Encíclica Ecclesiam suam , 72) . Continuemos a rezar pela paz no mundo, pela paz na Síria, pela paz no Oriente Médio, pela paz em muitos Países do mundo. Esta coragem de paz doe a coragem da esperança ao mundo, a todos aqueles que sofrem com a guerra, aos jovens que olham preocupados com o seu futuro. Deus todo-Poderoso, que escuta as nossas orações, sustente-nos neste caminho de paz. E gostaria de sugerir que agora cada um de nós, todos nós, na presença de Deus, em silêncio, todos nós, desejamo-nos mutuamente a paz. [Pausa de silêncio]: Obrigado!
 

 LEGGI ANCHE
• NOTÍCIA
5 Dezembro 2017

Não fechemos os nossos corações, não viremos o rosto para o outro lado. A presença de Deus, hoje, também se chama "Rohingya". Cada um de nós, dê a própria resposta.

IT | EN | ES | DE | FR | PT
20 Novembro 2017

Muitas vezes nos parece não ter feito nada de mal e com isso nos contentamos.

IT | ES | DE | FR | PT | ID
10 Novembro 2017

É preciso rejeitar a cultura do descarte e cuidar das pessoas que sofrem as desigualdades mais dolorosas

IT | EN | ES | FR | PT
13 Outubro 2017

A pena de morte é uma medida desumana que humilha a dignidade pessoal.Em si mesma, é contrária ao Evangelho

IT | DE | FR | PT | ID
10 Setembro 2017
MÜNSTER, ALEMANHA

Começa Caminhos de Paz em Münster - em milhares para a abertura. Chegou a Chanceler Angela Merkel, o grande Imã de Al-Azhar e centenas de representantes das religiões mundiais

IT | EN | DE | PT | NL
7 Setembro 2017
MÜNSTER, ALEMANHA

Caminhos de Paz de 2017: clique aqui para todas as notícias do encontro, mesmo via dispositivo móvel

IT | EN | ES | DE | FR | PT | CA | NL | ID
tutte le news
• STAMPA
23 Fevereiro 2018
Domradio.de

"Wir können Frieden organisieren wie andere den Krieg"

15 Dezembro 2017
GNZ

Im Mittelpunkt steht das Gebet für den Frieden

30 Outubro 2017
Notizie Italia News

Il tempo del dialogo, 500 anni dopo ...

15 Outubro 2017
Herder Korrespondenz

Sant'Egidio: Auf der Suche nach der Gemeinsamkeit

21 Setembro 2017
Credere La Gioia della Fede

Nel 2018 l'Incontro per la pace torna in Italia

15 Setembro 2017
Kirchenzeitung Köln

Die anstrengende Arbeit am Frieden

tutta la rassegna stampa
• DOCUMENTI

Christians in the middle east: What Future ?

The Courage to Hope - THE DEFINITIVE PROGRAMME

tutti i documenti

FOTO

1126 visite

1164 visite

1265 visite
tutta i media correlati